soos
Contactar +351 927-090-674

OCDE lança estudo sobre governança

oecd notA OCDE publicou um novo estudo sobre governança pública, que debate os principais motivos que impulsionam a confiança nas instituições públicas para enfrentar os desafios atuais e futuros.

OCDE lança estudo sobre governança

oecd notA OCDE publicou um novo estudo sobre governança pública, que debate os principais motivos que impulsionam a confiança nas instituições públicas para enfrentar os desafios atuais e futuros.

Direitos Humanos: Curso Gratuito

NOT CURSO NOVO DIREITOS HUMANOSO INA realiza em março a 1.ª edição do Programa de Capacitação em Direitos Humanos para a Administração Pública. As vagas estão esgotadas e as inscrições encontram-se encerradas.

Newsletter ina 2022

BANNER NEWSLETTERS1

         
Newsletter janeiro 1        
janeiro 2022        
         
         
         
         
         
       
         
         
         
         
         

Conselho Estratégico

banner CE

O Conselho Estratégico é um órgão de apoio e de acompanhamento do conselho diretivo, que prossegue, em especial, o objetivo de desenvolvimento e consolidação da visão estratégica de qualificação da Administração Pública e de estímulo da valorização técnica e tecnológica da Administração Pública.

O Conselho Estratégico é, ainda, o órgão de relacionamento do INA, I. P., com a sociedade civil, nomeadamente com personalidades dos setores sociais, económicos e profissionais relacionados com o domínio da Administração Pública.

{accordionfaq faqid=raf faqclass="lightnessfaq plus headerbackground headerborder contentbackground contentborder round5" autonumber=0}

Composição do Conselho Estratégico

Tendo em consideração o artigo 10.º, ponto 3, do Decreto-Lei n.º 19/2021, de 15 de março, o Conselho Estratégico do INA, I.P. integra as seguintes individualidades:

  • João Martins Claro, Representante do membro do Governo responsável pela área da Administração Pública;
  • Maria da Conceição Bento, Representante do membro do Governo responsável pela área da Ciência, da Tecnologia e do Ensino Superior;
  • Pedro Dominguinhos, Presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP) e Presidente do Instituto Politécnico de Setúbal (IPS);
  • Maria José Fernandes, Vice-Presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP) e Presidente do Instituto Politécnico Cávado e Ave (IPCA);
  • Jorge Conde, Vogal da Comissão Permanente do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP) e Presidente do Instituto Politécnico de Coimbra (IPC);
  • Maria de Lurdes Rodrigues, Vogal da Comissão Permanente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP) e Reitora do ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa;
  • Ricardo Ramos Pinto, Representante do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP) e Presidente do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas ( ISCSP) da Universidade de Lisboa;
  • António Tavares, Representante do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP), Professor Associado com Agregação na Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho e Membro do Centro de Investigação em Ciência Política;
  • David Xavier, Secretário-Geral da Presidência do Conselho de Ministros (PCM);
  • Nuno Lopes, Representante da Direção-Geral da Administração e do Emprego Público (DGAEP);
  • Fátima Madureira, Presidente do Conselho Diretivo da Agência para a Modernização Administrativa (AMA, I.P.);
  • Maria Helena Rodrigues, Representante do Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE);
  • José Joaquim Abraão, Representante da Frente Sindical da Administração Pública (FESAP);
  • Alcides Teles, Representante da Frente Comum – Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública;
  • João Ferrão, Membro Cooptado;
  • Alda Carvalho, Membro Cooptado.

Competências

De acordo com o artigo 11.º do Decreto-Lei n.º 19/2021, de 15 de março, as competências do Conselho Estratégico são as seguintes:

  • Eleger o seu presidente, por maioria absoluta dos seus membros;
  • Propor, por maioria absoluta dos seus membros, personalidades para os cargos de presidente e vogais do conselho diretivo;
  • Aprovar o orçamento anual;
  • Aprovar o plano anual de atividades;
  • Aprovar o relatório e contas;
  • Propor ao conselho diretivo a participação em parcerias e protocolos com instituições públicas e privadas de ensino superior e com instituições públicas e privadas de investigação e desenvolvimento;
  • Propor ao conselho diretivo a revisão dos cursos de formação, depois de ouvidas as instituições acreditadas;
  • Conceber e emitir as diretrizes gerais de atuação do INA, I.P., nomeadamente, nos domínios pedagógicos e científicos;
  • Emitir recomendações gerais de coordenação da oferta formativa, partilha de recursos humanos e materiais entre o INA, I.P., e os seus consortes;
  • Manifestar recomendações de gestão do INA, I.P.;
  • Pronunciar-se sobre as atividades de caráter formativo envolvidas na prestação de serviços à comunidade;
  • Propor ou pronunciar-se sobre a concessão de títulos ou distinções honoríficas;
  • Apreciar as queixas relativas a falhas pedagógicas;
  • Aprovar o seu regimento.

O Conselho Estratégico deve emitir parecer sobre a constituição de polos desconcentrados, regionais ou locais, bem como sobre o alargamento do consórcio constituído com vista ao desenvolvimento das ações de formação de quadros técnicos superiores e dirigentes e, ainda, sobre a constituição de outros consórcios que o INA, I. P., integre sobre outras matérias.

EndFAQ

Consulte a legislação aplicável.

Para qualquer esclarecimento, contacte-nos através do seguinte email: ina@ina.pt.

Protocolo APEX tem novo membro

apex 140 noticia 2021O protocolo APEX passa a integrar a Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias. No total, são quatro os cursos disponíveis com condições especiais para a Administração Pública.

Oficinas de Cocriação

banner site2021 inovacao projetos2

A cocriação é uma abordagem que permite envolver as diferentes partes interessadas na produção colaborativa e participada de soluções para problemas ou desafios comuns.

As Oficinas de Cocriação são sessões de capacitação que integram os destinatários finais como parceiros na produção de ideias e no desenho de soluções inovadoras de gestão pública e/ou de serviço aos cidadãos e aos agentes económicos. Estas soluções são testadas através de projetos experimentais de inovação.

As Oficinas de Cocriação podem incluir trabalhadores e dirigentes de diferentes grupos ou áreas profissionais, de uma ou várias instituições públicas. Podem, ainda, envolver os destinatários de serviço público.

Destinatários:

Todos os trabalhadores e dirigentes da Administração Pública.

O grupo de trabalho que participa nas Oficinas de Cocriação é constituído por oito a doze pessoas.

Objetivos:

As oficinas de Cocriação visam a construção colaborativa de soluções inovadoras e a sua concretização na forma de projetos-piloto.

Como contactar:

As entidades públicas podem solicitar a realização das Oficinas de Cocriação em formato presencial, remoto ou híbrido.

Pode fazer a sua inscrição através de um pedido para o seguinte email: projetos.inovacaoap@ina.pt

A participação é gratuita.

Edições já realizadas:

O INA, I.P promove Oficinas de Cocriação desde o ano 2019, tendo sido realizadas em formato presencial e virtual e em diferentes áreas de Governo, tais como: Educação e Ciência, Finanças e Saúde.

Foram abordadas diferentes temáticas: promoção de desenvolvimento de competências; atração e retenção e talentos.; prevenção da violência sobre profissionais de saúde.

Sendo uma abordagem transversal, podem ser abordados temas diversos, tais como: transferência de conhecimento, sustentabilidade ambiental, entre outros.

Newsletter INA – dezembro

noticia newsA edição de dezembro da newsletter do INA (PDF) destaca o projeto-piloto do Programa de Liderança em intercâmbio da Administração Pública da União Europeia (UE) que decorre até junho de 2022.

Consultoria em desenvolvimento organizacio

banner site2021 inovacao consultoria1

O INA, I.P. é parceiro nos processos de desenvolvimento e transformação da Administração Pública, apoiando a definição e a realização de planos de ação para a melhoria da gestão, do funcionamento e dos serviços disponibilizados pelas organizações públicas.

Presta serviços de consultoria e de assessoria técnica em inovação, capacitação de pessoas e equipas e aplicação de práticas de gestão de referência.

Adota um modelo de consultoria que se organiza em torno das seguintes fases: diagnóstico, conceção, implementação e avaliação de soluções.

Com base nas singularidades organizacionais, as soluções são concebidas à medida, em função das necessidades e das oportunidades de desenvolvimento identificadas, incluindo: estratégia de inovação, programa de tutoria e mentoria, programa de cocriação e participação, desenvolvimento de estratégias e planos ação.

Destinatários:

Tendo o INA, I. P. como missão fundamental a criação, transmissão e difusão do conhecimento no domínio da Administração Pública, as suas atividades de consultoria e assessoria técnica em desenvolvimento organizacional estendem-se a todas as entidades da Administração direta e indireta do Estado, entidades da Administração Local e da Administração Regional.

Os processos de consultoria e assessoria técnica podem ser dedicados a pessoas, equipas ou à organização no seu todo, mediante as solicitações e as necessidades previamente identificadas.

Objetivos:

•    Disponibilizar um serviço especializado para a inovação e modernização da Administração Pública, sustentado numa abordagem sistemática de desenvolvimento organizacional;
•    Apoiar o reforço das capacidades organizacionais para evolução e resultados sustentados.

Como contactar:

Mais informação pode ser solicitada através do seguinte email: projetos.inovacaoap@ina.pt.

Ferramenta de Autoavaliação da Cultura de

banner site2021 inovacao ferramentas2

A Ferramenta de Autoavaliação da Cultura de Inovação (FACI) é um instrumento de autodiagnóstico que permite aferir o grau de maturidade da cultura de inovação organizacional, enquadrada no Programa SIMPLEX' 20-21, que apoia a integração da estratégia de inovação na estratégia global de cada entidade pública.

A FACI é composta por dez dimensões ou áreas de gestão de uma entidade do setor público: Estratégia, Liderança, Pessoas, Estrutura, Incentivos, Ferramentas, Gestão do Risco, Redes e Conhecimento, Compras Públicas e Financiamento.

Em cada uma dessas área, a avaliação é aferida através de um conjunto de capacidades específicas essenciais para uma efetiva cultura de inovação no contexto da gestão pública.

Identifica as capacidades e áreas desenvolvidas, bem como as áreas a desenvolver em matéria de inovação. Esse autodiagnóstico constitui uma base para a definição e implementação de um plano de desenvolvimento de competências de inovação.

O exercício de autodiagnóstico é realizado por uma equipa de autoavaliação, representativa das diferentes áreas de atividade e níveis de responsabilidade e liderança, com a colaboração do INA, I.P..

A autoavaliação é realizada por uma equipa representativa das diferentes áreas de atividade e níveis de responsabilidade e liderança da entidade pública, com a colaboração do INA, I.P.

Destinatários:

Esta ferramenta destina-se a todas as entidades da Administração direta e indireta do Estado, podendo ainda ser adaptada às entidades da Administração Regional e da Administração Local.

Objetivos:

  • Fomentar a Cultura de Inovação na Administração Pública;
  • Apoiar o processo de integração da estratégia de inovação na estratégia global da entidade pública, centrada na criação de valor;
  • Identificar as necessidades ou oportunidades de promoção da Cultura de Inovação e implementar um plano de desenvolvimento de competências de inovação.

Processo de autoavaliação em etapas:
1)    Acordo para a realização do exercício de autoavaliação com a entidade pública;
2)    Identificação da equipa de autoavaliação;
3)    Reunião de preparação da equipa de autoavaliação e agenda do exercício de autoavaliação;
4)    Realização do exercício de autoavaliação;
5)    Elaboração do relatório de autoavaliação;
6)    Elaboração do Plano de Melhoria de Competências.

Como contactar:

Mais informação pode ser solicitada através do seguinte email: projetos.inovacaoap@ina.pt.

Consulte, ainda, o Guia da Ferramenta de Autoavaliação da Cultura de Inovação.

Programa de Mentoria para a Inovação e Lid

banner site2021 inovacao consultoria3

O Programa de Mentoria para a Inovação e Liderança na Administração Pública (PMIL) é um programa especificamente desenhado para proporcionar experiências indutoras da aquisição e do reforço de competências de inovação, de empreendedorismo e de liderança.

Baseia-se numa relação de mentoria que liga profissionais experientes, de diferentes setores de atividade, a trabalhadores e dirigentes da Administração Pública, com vista à aceleração do respetivo desenvolvimento e à sua tradução em iniciativas que aportam valor para os contextos profissionais e para o serviço público.

O Programa tem duas linhas de atuação: a mentoria para a promoção da inovação e a mentoria para o desenvolvimento da liderança nos dirigentes da Administração Pública.

É de frequência gratuita para os envolvidos, fundado na atividade pro bono dos mentores e na participação voluntária, superiormente autorizada, dos mentorados.

Destinatários:

A mentoria para a inovação destina-se a trabalhadores e dirigentes responsáveis pela gestão de projetos de inovação.
A mentoria para a liderança destina-se a titulares de cargos de direção intermédia e de direção superior.

Objetivos:

•    Desenvolver as competências de trabalhadores e dirigentes da Administração Pública, com vista à aquisição de conhecimentos, e ao reforço das capacidades individuais;
•    Desenvolvimento da liderança nos dirigentes da Administração Pública;
•    Desenvolver competências de gestão da inovação nos trabalhadores e dirigentes da Administração Pública, designadamente naqueles que estejam envolvidos em projetos inovadores.

Como contactar:

Para esclarecimento de qualquer dúvida podem contactar-nos para o seguinte email: mentoria@ina.pt
As inscrições decorrem em datas previamente agendadas.
Neste momento não estão a decorrer inscrições.

Edições já realizadas:

Foram realizadas, até ao momento, duas edições, num Programa que tem, sensivelmente, um ano de duração continuada.

Está a decorrer a terceira edição, onde foram realizadas ações de capacitação para mentores e para mentorados. Em seguida, dar-se-á continuidade ao processo, com vista à preparação de novos pares de mentoria.

Atualmente, o Programa integra 26 participantes; representando 13 pares de mentores e mentorados, em processo ativo de mentoria.

Mentoria 202112

 

Projetos Experimentais de Inovação

banner site2021 inovacao inovar conosco

O Sistema de Incentivos à Inovação na Gestão Pública (SIIGeP) enquadra a realização de projetos experimentais de inovação.

Um projeto experimental de inovação é uma iniciativa delimitada no tempo, podendo ser desenvolvida num, ou mais, dos seguintes três domínios: Valorização dos recursos humanos; Melhoria dos ambientes de trabalho; Desenvolvimento de modelos de gestão.

O processo de candidatura ao desenvolvimento de projetos experimentais de inovação encontra-se regulamentado pelo Despacho n.º  6869/2018, de 17 de julho (D.R., 2.ª série, N.º 136, de  17 de julho de 2018.

Estes projetos experimentais de inovação devem representar uma nova forma de funcionamento nas entidades públicas que neles participem, podendo implicar a ativação do direito ao desafio que representa a suspensão temporária de regimes legais vigentes, através de instrumento legal adequado para o efeito e pelo período de duração do projeto.

Consulte o Decreto-Lei n.º 126/2019, de 29 de agosto, o primeiro diploma que cria o mecanismo do direito ao desafio e autoriza a implementação de oito projetos experimentais desenvolvidos com recurso ao mesmo.

Destinatários:

O Sistema de Incentivos à Inovação na Gestão Pública destina-se às entidades da administração pública direta e indireta, aos seus dirigentes e trabalhadores.

Objetivos:

Os projetos de inovação experimentais previstos no SIIGeP, configurados como projetos-piloto ou protótipos, visam testar novos modelos de gestão com objetivos concretos de melhoria de funcionamento dos serviços públicos, com soluções inovadoras.

Como contactar:

Podem candidatar-se equipas de trabalhadores e dirigentes da administração central, direta e indireta.
Para qualquer esclarecimento, contacte-nos através do seguinte email: projetos.inovacaoap@ina.pt
As candidaturas de projetos experimentais de inovação são efetuadas através de um formulário eletrónico, ao qual pode aceder aqui.
 
Poderá consultar ainda os seguintes documentos de apoio à candidatura do seu projeto experimental de inovação:

 

Aceleradora de Ideias em Serviços Públicos

banner site2021 inovacao projetos3

A Aceleradora de Ideias em Serviços Públicos visa o desenvolvimento rápido de novas ideias, propostas por equipas de trabalhadores e dirigentes da Administração Pública, que tenham como objetivo inovar nos serviços públicos.

As ideias apresentadas pelas equipas são avaliadas e selecionadas por um painel de peritos. As seis ideias com melhor avaliação são integradas e apoiadas no programa da Aceleradora de Ideias em Serviços Públicos.

Destinatários:

Todos os trabalhadores e dirigentes da Administração Pública.

Objetivos:

?    Proporcionar a oportunidade de apresentar, desenvolver e testar ideias inovadoras;
?    Capacitar e orientar os trabalhadores e dirigentes no percurso de experimentação das ideias inovadoras apresentadas;
?    Possibilitar o trabalho colaborativo com entidades do setor público, do setor não-governamental e do setor privado, orientadas à conceção e ensaio de ideias inovadoras em serviços públicos.

Como contactar:

Podem candidatar-se equipas de trabalhadores e dirigentes da administração central, direta e indireta. Para qualquer esclarecimento, contacte-nos através do seguinte email: projetos.inovacaoap@ina.pt.

Podem participar equipas de trabalhadores e dirigentes da administração direta e indireta do Estado, que apresentem ideias de inovação.

Mais informação pode ser solicitada através do seguinte email: projetos.inovacaoap@ina.pt
A participação é gratuita.

Edições já realizadas:

https://www.ina.pt/index.php/inicio-inovacao-ap-2/promocao-da-inovacao

https://www.ina.pt/index.php/agenda/2405-aceleradora-de-ideias-candidaturas

 

Dia Aberto à Inovação

banner site2021 inovacao 1

O Dia Aberto à Inovação é uma sessão de trabalho onde equipas de trabalhadores e dirigentes da Administração Pública criam e desenvolvem ideias novas para solucionar problemas concretos ou responder a desafios de inovação.

Destinatários:

Todos os trabalhadores e dirigentes da Administração Pública.

Objetivos:

?    Identificar problemas ou desafios de inovação concretos de uma entidade pública;
?    Caracterizar o desafio da inovação através da compreensão da raiz do problema, do seu impacto e da motivação para o solucionar;
?    Produzir ideias para solucionar o problema ou responder ao desafio da inovação através de técnicas criativas;
?    Criar um protótipo para avaliar uma ideia inovadora e melhorar o desenho da solução que se pretende testar através de um projeto experimental de inovação.

Como contactar:

A solicitação de realização de um Dia Aberto à Inovação, em formato presencial ou remoto, por uma instituição pública ou por uma equipa de trabalhadores e dirigentes é efetuada para o seguinte email: projetos.inovacaoap@ina.pt.

A participação é gratuita.

Edições já realizadas:

Foram realizadas dezasseis (16) sessões do Dia Aberto à Inovação, onde participaram trabalhadores e dirigentes de entidades da administração direta e indireta do Estado e da administração local.

dia aberto inovacao 2021

 

Inovar Connosco

banner site2021 inovacao 6

A inovação impulsiona o desenvolvimento das pessoas e das equipas e a transformação e modernização das organizações.

O INA, I.P., dinamiza um conjunto de programas e iniciativas que contribuem para a promoção da cultura da inovação na Administração Pública e para a sua resposta aos desafios do presente e do futuro.

{accordionfaq faqid=raf faqclass="lightnessfaq plus headerbackground headerborder contentbackground contentborder round5" autonumber=0}

Capacitação de Pessoas

As ações de capacitação individual visam promover o desenvolvimento e o reforço de competências pessoais e profissionais dos trabalhadores e dirigentes da Administração Pública.

Adotam formatos flexíveis e inovadores de aprendizagem, de partilha de conhecimento, de contacto com boas práticas de gestão e de serviço público, através de experiências interativas e imersivas em diferentes contextos de trabalho.

Programa de Mentoria para a Inovação e Liderança  

Programa de Liderança em Intercâmbio 

Programa de Formação

Capacitação de Equipas e Organizações

As ações de capacitação de equipas estão centradas em dinâmicas de trabalho colaborativo e de cocriação de soluções inovadoras dedicadas a problemas e desafios identificados na gestão das organizações e dos serviços que prestam.

Estas ações envolvem profissionais com experiências e competências que potenciam a partilha de conhecimento, a criatividade, a prototipagem de ideias e a implementação de projetos inovadores.

A capacitação organizacional é suportada no autodiagnóstico de cultura de inovação, realizado através de ferramenta específica, e na elaboração e execução de um plano de desenvolvimento de competências de inovação.

O foco é colocado na integração da estratégia da inovação dentro da estratégia global da instituição pública.

Oficinas de Cocriação  

Dia Aberto à Inovação 

Ferramenta de Autoavaliação da Cultura de Inovação  

Consultoria ou assessoria técnica em desenvolvimento organizacional

Experimentação, Investigação e Desenvolvimento

A experimentação consiste no desenvolvimento rápido e no ensaio de novas ideias até à demonstração da sua viabilidade. É efetuada através de projetos experimentais de inovação, com o suporte do INA, I.P. na sua formulação, concretização e avaliação.

A investigação em políticas e gestão pública é incentivada com base em redes colaborativas com as Unidades de Investigação e Desenvolvimento para a produção e disseminação de conhecimento nas áreas de capacitação e desenvolvimento de pessoas, equipas e organizações públicas e da gestão da inovação para um melhor serviço à sociedade.

Aceleradora de Ideias em Serviços Públicos

Projetos Experimentais de Inovação 

 

EndFAQ